Total de visualizações de página

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Aqui

Barulho sem silêncio
Mãos sem algemas
Luz que adentra pela fresta da janela

Confissão de um preso
Tudo é nojo, corpo, fogo
Camaradagem é o que mais receio

Olhos atribulados acompanham-me
Pela noite, pela tarde me desfaço
Num cabaço desfacelado pelo cansaço

Lutar?
Quem disse que lutar aqui
valeria a pena!

Meu corpo fede e minhas mãos são sujas
Digno seria de alguma beleza?
Minha própria traição.

(Escrevi essas palavras assistindo o filme Tropa de Elite =) )

Nenhum comentário:

Postar um comentário