Total de visualizações de página

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

De novo

Viver nessa vida como se fosse me dada outra chance”  é o que diz esta música: You Give Me Hope (Acoustic) - Ryan Kirkland.   Sinceramente ainda não havia pensado nesta possibilidade.
        Hoje me sinto bem, como se algo de novo e muito bom estivesse para me acontecer, e está tão pertinho de mim, mas como sei que os momentos da vida são como uma caixinha de surpresas ou porque não como uma cartola mágica. 
      Ah... viver bem, é isso; mesmo com algumas tribulações eu tenho saúde, tenho minha família que me ama, meus avós queridos que mesmo do alto sei que intercedem para mim, meus amigos e amigas que mesmo com as tarefas da semana sempre estão presentes no pensamento, na ligação, numa carta, num reencontro, num recadinho do MSN. 
      Percebo o novo de cada dia, abrindo as janelas do coração que estão fechadas, podendo sentir as coisas mais simples, o escutar da água no banho lavando o corpo e porque não a alma. Água pura, água que lava, que inunda o ser de paz... sonhos de Deus para cada um de nós. Pela manhã acordar e olhar para minhas mãos, meus pés, sentir meu coração batendo e Deus falando eu Te amo filha e quero realizar lindas obras em sua vida. Reconhecer no sorriso humilde das pessoas a presença Dele.
        A vida é tão simples que é a gente que adora complicar, fazer tempestade num copo d’agua.  Esse mês não será e não esta mesmo sendo fácil, fechamento de semestre na universidade, reposição de aulas de música, investimento dobrado nas minhas leituras e escrita. Mas tudo tem um, porém. É necessário passarmos por essa ponte que nos leva a reconhecer nossas limitações e fragilidades. Reconhecer que a gente precisa de ajuda, e o melhor de tudo, jamais estamos sozinhos. 
        Eu posso não ter tanto êxito nas minhas atividades/tarefas do dia a dia, mas não estou sozinha. Esse é o bacana. Além disso, estamos nesse mundo para nos construir, para fazer a diferença na vida das pessoas, mesmo que por um breve gesto de solidariedade, um escutar de desabafo de alguém, um abraço apertado, enfim, há motivos de sobra para a gente ser um pouquinho mais feliz no decrrer desse tempo que pasa correndo aos nossos pés.